23 de abril de 2008

Como diferentes... mas iguais!

Parou, fitou a frente do restaurante e iniciou a caminhada na sua direcção.
A porta abriu-se por cortesia de um cliente que aguardava vez. Entrou, olhou em volta e saiu sem que tenham sequer dado pela sua estada.
Deixou para trás um vazio no espaço que ocupou por breves instantes. Ninguém notou que existira naquele pequeno momento...

Enquanto se afastava pensou: “ Ainda há locais onde os iguais se sentem diferentes!”

12 comentários:

Mestre disse...

E de facto conseguimos ser diferentes, mesmo parecendo iguais.

Bom pensamento.

Abraço, benvindo de volta.

Fátima disse...

No mundo onde vivemos, onde todos somos cada vez mais, onde tropeçamos continuamente nos outros sem sequer erguer a cabeça para os olhar nos olhos e pedir desculpa...
Onde por vezes os gestos que deixamos escapar parecem perder-se no vazio sem que ninguém os receba...
Esse mundo é consequencia de tudo o que fazemos...
Até mesmo essa presença momentânea que parece não ter sido notada, mudou certamente algo na vida de alguém!!!!

Jocas Grandes!!!!

Miguel Ferreira disse...

Mestre: A insistência na diferença, importante na personalidade mas não arrogância.
Obrigado. Abraço

Fátima: O continuado cultivos dos "mundinhos individuais". Sem querer aceitar a culpa da influência que se tem no global.
Beijo

Catarina, disse...

Gostei =) Somos diferentes em muita coisa, mas há tanta mas tanta coisas em que todos somos iguais. Só as vezes não damos conta disso.

bj*
Bom f.d.s prolongado :p

Sílvia disse...

Todos somos iguais, não há melhores nem piores.
Todos temos virtudes e defeitos... Em determinados momentos, isso faz a diferença! ;)

Miguel Ferreira disse...

Catarina: Este foi um momento que vivi como espectador. Foi um momento simples e silencioso. Mas que me tocou e por isso partilhei.
Obrigado, beijos

Silvia: E é nesses determinados momentos que temos de perceber que nós proprios deveremos perceber que tambem nos colocamos diferentes.
Beijo

Liz / Falando de tudo! disse...

Somos iguais sim, mas sao poucos que tem essa consciência...infelizmente, ou seria felizmente?
Gostei daqui...

Gato Aurélio disse...

(...)
O meu olhar é nítido como um girassol.
Tenho o costume de andar pelas estradas
Olhando para a direita e para a esquerda,
E de, vez em quando olhando para trás...
E o que vejo a cada momento
É aquilo que nunca antes eu tinha visto,
E eu sei dar por isso muito bem...
Sei ter o pasmo essencial
Que tem uma criança se, ao nascer,
Reparasse que nascera deveras...
Sinto-me nascido a cada momento
Para a eterna novidade do Mundo...
(...)

Alberto Caeiro

;O)

Pulha Garcia disse...

"Tu és apenas uma pequenina peça mas sem ti a máquina não funciona"

Miguel Ferreira disse...

Liz: Infelizmente... e esses momentos são tão marcantes que jamais nos esquecemos deles.

Gato Aurélio: Agradeço-te o belissimo momento que vivi quando li o teu comentário... Obrigado

Pulha Garcia: Como um pequeno relógio que funciona mas que faltando a mais minima peça pára imediatamente.

Beijos e Abraços

Dias disse...

Gostava de passar assim vários momentos das outras vidas, entrar e sair sem não deixar mais que um vazio despercebido.

Abraço

Um Momento disse...

Tantos mas tantos...
por isso somos diferentes!

Um beijo!

(*)