29 de abril de 2008

Lado a Lado...

Fitei-o intrigado com sua postura. O que se passara?
De rosto fechado e olhos húmidos olhou-me e voltou a baixar a sua vida ao nível do chão que pisava. Soluçando o seu choro parecia gritar em solidão…
Não soube o que dizer… Senti apenas que ali era onde devia estar…

Dias depois, com cor diferente em sua vida, agradeceu o silêncio daquele dia e então fui eu quem fechou o rosto para o abraçar e lhe dizer que, mesmo sem interromper o ruído do vento 2 corações comunicam e então batem mais forte…

8 comentários:

Fatima disse...

É realmente bom sentir que mesmo quando nos rebaixamos aos profundos patamares do desgosto e solidão, existe algures uma presença que nos ama apesar de todas as nossas divergências e se preocupa, nem que seja em silêncio, para que nosso coração não deixe de pulsar...

Bjs

Miguel Ferreira disse...

Fatima: Não poderias ter completado melhor a minha mensagem.
Um beijo

Pratas disse...

True m8 ;) bom texto!

Abraços

disse...

sentido!
beijoca!

Gato Aurélio disse...

Vi pela primeira vez o mar
era muito dificil frente a mim
compreender esse território absoluto
falámos só de coisas inúteis
e o mundo inteiro se escondia

somos novos. Lemos nos olhos fechados
precauções, derrotas, recusas
quando a intimidade sugere a maior compaixão

José Tolentino Mendonça

;O)

Miguel Ferreira disse...

Pratas: obrigado amigo...

So: Bem vinda!

Gato aurélio: Obrigado por mais um belo momento...

Abraços e beijinhos

Dias disse...

Cool.

Abraço

LNeves disse...

Por vezes apenas necessitamos de companhia... Não de palavras ou actos; simplesmente de companhia!

***MUAH*** lindo texto!!!