22 de novembro de 2010

Passos do mesmo caminho...

Caminhava deambulante entre ruas e vielas,
vivendo cinzento e em sobressalto,
no impulso da decisão a cada momento.
Sem planos e direcção encontrei-te,
Na minha bússola que à tua presença estagnou.
Choquei contigo naquele momento feliz
e desde aí esse caminho percorremos de mão dada

Invernos são esperados é certo,
mesmo assim sei o que te digo e
te peço que segures a minha mão nesses momentos.
viveremos então os Verões quentes,
as tardes de carinho, as noites de amor,
O sexo intenso e transpirante,
aquele querer Amar-te toda a vida de uma vez só...

Em cativeiro publico me manténs,
poderosa e rainha do que faço e desejo.
Hoje o caminho deambulante é o destino que encontro,
nessas ruas e vielas de outrora,
nos passos que tomo e têm o sabor da tua ausência.
E no vazio que existe quando não te tenho ao meu lado,
quando procuro os lábios desse teu calor e não encontro,
quando o nó dos teus braços não está presente no meu corpo.
Nesses momentos apesar de cinzento sou radiante
sorriu porque sei que agora existes e
corro em direcção a esse sol que irradias a meu lado,
o sol que me aquece no frio caminho que vou tomando...

3 comentários:

Edite disse...

Deves querer dizer "quando procuro o calor dos teus lábios e não encontro"....

The Septic Tank Blog disse...

I have really enjoyed this blog. Keep up the good work. The Septic Tank Man

Adriano agora vai disse...

fico felizpor continuar a escrever....gostpo de com screve simles poetico e claro